sábado, 28 de abril de 2012

#Série | Happily Divorced

Imagem: Retirada do Google

Nesta série, que estreou no último dia 22 de Abril aqui no Brasil, Fran Drescher, a famosa atriz de voz anasalada e riso engraçado e mais conhecida pelo seu papel em "The Nanny", volta com tudo à televisão, atuando, produzindo e escrevendo. Prometendo arrancar muitas risadas do público, ela pega um fato que aconteceu consigo na vida real e o transforma numa série de TV.

"Happily Divorced" conta a história de um casal em processo de divórcio após 18 anos de relacionamento. Fran Lovett vê seu casamento ir por água abaixo quando seu marido Peter Lovett, de repente, lhe confessa que é gay. Sem pensar duas vezes, ela pede o divórcio. Mas, apesar do casamento ter acabado, os dois permanecem amigos. Peter, inclusive, continua a morar com Fran na casa que até então era do casal, pois não tem condições de bancar um outro lar para si. E isso, é claro, trará muitas confusões. Os pais de Fran, que adoram o ex-genro e já pareciam notar que ele era gay, ao invés de repudia-lo, continuam a apoiá-lo, o que mostra que eles tinham uma relação muito boa.

Imagem: Site PopTower

Com a interpretação cômica e sem esforços de Fran Drescher e mais algumas piadas feitas na medida certa - e outras nem tanto, devo confessar -, já deu para ver que em seu episódio de estreia, "Happily Divorced" promete de verdade. Todos os personagens estão na medida, o que já mostra ser um bom resultado do roteiro - escrito em parceria por Fran e seu ex-marido Peter Marc-Jacobson.

O elenco foi bem escolhido, cada um parece dar o tom certo e esperado para os personagens. Além disso, há a participação de Tichina Arnold, a nossa querida e idolatrada Rochelle de "Todo Mundo Odeia o Chris", interpretando Judi, a melhor amiga de Fran Lovett.

Imagem: Site PopTower

Um fato marcante que deve ser notado é a Fran Drescher novamente interpretar alguém com o mesmo nome que o seu. Em todas as séries que ela participou, seja "The Nanny" assim como "Living with Fran", ela dá vida a alguém de nome "Fran". Não sei o motivo disso tudo, mas acho interessante - e as vezes até meio confuso, rs.

Descobri a série por acaso na internet e não sabia que havia estreado há pouco tempo no Brasil, então agora vou acompanhar pela televisão. Para quem se interessou, "Happily Divorced" é exibido aos domingos, às 20:30, no canal à cabo Comedy Central. Nos Estados Unidos, a série já está em sua segunda temporada.

Veja abaixo quem é quem na série (Clique para aumentar a imagem):



Como eu não achei o trailer da série no youtube, só no IMDB, e eu não sei como incorporar o vídeo de lá, deixo com vocês o link para assistir (está em inglês, mas dá para ter uma noção da série): http://www.imdb.com/video/imdb/vi3467025433/

E essa foi a dica de hoje. Comenta aí embaixo e me fale sobre o post de hoje!

Beijos :)



segunda-feira, 23 de abril de 2012

#Música | Eliza Doolittle

Imagem: Google

Acredito que não são muitas as pessoas que já tenham ouvido falar nesta jovem cantora, tanto é que na primeira vez que ela veio ao Brasil, não aconteceu um grande alarde e ela fez um pequeno show fechado. Para quem faz parte das pessoas que nunca ouviu falar, eu dou um breve comentário sobre ela que talvez possa interessar: ela me faz lembrar um pouquinho a Vanessa Carlton (cantora de "A thousand miles", aquela da trilha sonora de "As Branquelas", rs) e a Lily Allen. O álbum de estreia é maravilhoso e já mostrou que ela tem talento para permanecer na estrada. E, além disso, eu adoro o estilo dela de se vestir, o que não vem ao caso agora.

                          


Tive conhecimento da existência dela ao ver o clipe da música "Rollerblades" e na mesma hora fui procurar pelas outras músicas e a biografia dela. Vamos saber um pouco sobre esta cantora: Eliza Sophie Caird (15 de Abril de 1988), mais conhecida como Eliza Doolittle (nome, inclusive, que ela pegou "emprestado" do personagem da atriz Audrey Hepburn, no musical "My Fair Lady"), é uma cantora e compositora britânica, de Londres. Seu primeiro álbum, que leva o seu nome "Eliza Doolittle" como título, foi lançado em 12 de Julho de 2010 no Reino Unido e, quase um ano depois, ele chegou aos Estados Unidos. Antes de ser reconhecida, ela cantou com sua banda em várias escolas até gravar e lançar seu primeiro single (Fonte: Wikipédia). Para saber mais informações, acesse: www.elizadoolittle.com

Capa do CD de estreia
Imagem: Site Oficial Eliza Doolittle
O que é muito legal no estilo musical de Eliza, é que ela não canta só pop, ela mistura várias influências musicais com o retrô, o que resulta em músicas gostosas, divertidas e super alto astral, daquelas que você coloca para pular e extravasar. 

Agora para te fazer dar uma voz ao nome e rosto, vejamos uns clipes dela:

"See you with a broken string tell me what you really mean, 
Do you know what you want
While beating up on yesterday,
I was on my rollerblades
Rolling on move on"
(Rollerblades)


Agora a minha música favorita entre todas do CD *-*

"Pack up your troubles in your old kit bag
And bury them beneath the sea
I don't care what the people may say
What the people may say about me"
(Pack Up)


Não é tudo de bom, gente? Uma maravilha, ouçam as músicas dela assim que possível, vocês não se arrependerão!

E não esqueça de sair sem comentar. Se possível, compartilhe esta dica, já que a Eliza super merece!

Beijos :)


quarta-feira, 18 de abril de 2012

#Série | Once Upon a Time

Imagem: Retirada do Google

Antes de começar, preciso dizer que esta série necessita entrar no topo da sua lista de séries a serem assistidas - caso você ainda não esteja acompanhando - porque é simplesmente fascinante. Se você gosta de contos de fada e gostaria de voltar a aqueles bons tempos de quando viajava ao ouvir as estórias das princesas e seus príncipes, você deve correr para assistir a "Once Upon a Time".

Envolvendo o mundo real com o mundo fantástico dos contos de fada, "Once Upon a Time" (traduzindo: Era uma vez) consegue te envolver de tal maneira, que você busca as estórias lá na sua mente, te fazendo lembrar e até mesmo pesquisar os pormenores de cada uma. Bem, pelo menos foi assim comigo!

O enredo interessantíssimo da série é o seguinte: Em um lugar distante cheio de criaturas mágicas, onde vivem os famosos personagens dos contos de fada, a Rainha Má invade o casamento de Branca de Neve e Príncipe Encantado e joga uma terrível maldição no reino, maldição essa que condena todos a viverem parados no tempo e em um mundo onde não há finais felizes. Preocupados com o futuro do bebê que esperam, Branca de Neve e o Príncipe Encantado vão até Rumpelstiltskin pedir a ele que lhes conte sobre a maldição. Ele conta todo o perigo que o reino corre e revela que só o bebê que está na barriga de Branca de Neve é quem pode salvá-los. Segundo ele, após 28 anos o bebê já adulto voltará para o seu local de origem e, finalmente, acabará com a maldição. No meio de tanto caos, Branca de Neve dá a luz a uma menina, a quem chama de Emma. A criança é colocada em um armário - feito por Gepeto e Pinóquio - que a protegerá dos males. Quando a maldição faz-se presente, Emma desaparece.

28 anos se passam e nós conhecemos a solitária Emma Swan, uma agente e caçadora de recompensas que não conhece seus pais biológicos. No dia em que está completando 28 anos, ela recebe a inesperada visita de Henry, que vem a ser seu filho a quem ela abandonou há 10 anos assim que ele nasceu. O menino será o responsável pelo retorno de Emma ao local onde ela nasceu, pois ele, ao ler um livro sobre contos de fada (chamado "Once Upon a Time"), fica ciente da grande maldição que ronda a cidade Storybrooke - localizada no Estado de Maine, nos Estados Unidos - e vai procurar Emma para lhe contar. Sem ter saída, ela leva Henry de volta para a casa onde ele mora e fica sabendo por ele do grande mistério dos moradores da cidade e que, inclusive, nenhum deles se lembra de sua real identidade. Ela, é claro, não acredita no garoto e pensa que tudo isso não passa da imaginação de uma criança. Assim que chega a casa dos pais adotivos de Henry, descobrimos que a mãe dele é a prefeita da cidade, uma mulher dura chamada Regina, que é nada mais nada menos que a Rainha Má. Depois de entregar Henry, Emma tenta voltar para casa, mas não consegue, pois sofre um acidente de carro. Isso acontece porque, segundo a maldição, uma vez que alguém entra na cidade, não pode deixá-la. E é a partir da permanência de Emma na cidade por 1 semana, que toda a trama se desenrolará.

Imagem: Retirada do Google

O que achei interessante foi a forma como encontraram de fazer os links entre o mundo real (EUA atual) e o mundo da floresta encantada. A Rainha Má, que no mundo real é Regina, sempre se veste com roupas mais escuras, aparece perto de maçãs e pensando na frente do espelho. O mesmo se dá com Mary, a Branca de Neve no mundo atual, que veste-se de uma forma mais romântica, é bondosa, tem um cuidado especial com os animais e ajuda as pessoas, e Mr. Gold, o Rumplestiltskin, que me parece ser uma pessoa ligada ao dinheiro - daí o nome "Gold", que em português significa "Ouro". Se você não estiver prestando atenção e não buscar na sua memória as personalidades dos personagens dos contos de fada, não consegue identificar o gancho.

Logo no início é empolgante como você se envolve e fica ansioso para ver como os personagens do mundo fantástico se transformaram no mundo real, como eles estão caracterizados. E falando nisso, o figurino está maravilhoso e os efeitos especiais incríveis, coisa de cinema mesmo. Como eu já disse, é incrivelmente fascinante!

A série estreou faz pouco tempo aqui no Brasil. É exibida toda quinta-feira, às 21:00, no canal à cabo Sony. Para quem se interessou e quer assistir logo, já que nos EUA a primeira temporada já está em reta final, na internet é fácil encontrar os episódios para baixar ou assistir online, é só jogar no google ou procurar nos sites específicos de séries.

Veja abaixo quem é quem na série (clique na figura para aumentar):

Personagens principais
Imagens: Once Upon a Time Brasil / Montagem: Dicas ou Travessuras


Agora um trailer para te deixar com mais fome para assistir a essa série:


Gostou da dica? O que achou? Deixa um comentário aí embaixo me dizendo algo sobre!

Beijos ;)

sábado, 14 de abril de 2012

#Divagando | Você está na moda?

Imagem: We Heart It.com


Olá, você que me lê!

Há um tempo eu li uma reportagem muito interessante que falava sobre adaptar as tendências da moda ao gosto pessoal. Serve bastante para te fazer pensar e reavaliar a sua relação com a moda. E como o "Dicas ou Travessuras" também falará de assuntos relacionados a isso, achei que esta seria uma ótima oportunidade para mostrar o texto aqui, neste segundo post do blog.

Vamos lá!

(P.S: As partes em negrito foram grifadas por mim)

Você está na moda? 

Mais do que vestir as últimas tendências, é preciso adaptá-las ao seu estilo.  
(Por Ingrid Pipólos)
Moda significa tendência de consumo da atualidade, e para muita gente o sonho de estar antenado se materializa vestindo-se 'à maneira' do que mercado impõe. Mas, para estar na moda, é mesmo preciso se vestir conforme o que dita os grandes desfiles, das grandes marcas e dos grandes estilistas?
Não necessariamente, dizem os especialistas. Moda é um padrão, um norte a partir do qual cada um deve criar o seu estilo, a sua própria identidade. Uma produção requer uma grande dose de sensatez, o que traduzido significa que o conjunto de peças a ser escolhido em seu guarda-roupa pode se transformar em uma bela obra ou num grande fracasso. 
Para a jornalista Kenny Teixeira, 29 anos, moda é atualidade com padrões que são capazes de expressar sentimentos vividos em uma determinada época. "Sou alguém que se preocupa em estar sempre bem: bem vestido e bem feliz. Além disso, um sapatinho novo com o salto da moda e dois ou três vestidinhos nos tons da estação não fazem mal a ninguém", define-se, com bom humor. Kenny também lê revistas de moda e sempre sai de casa para dar aquela voltinha no shopping em busca de novidades. 
A turismóloga Fernanda Oliveira, 26 anos, já não é tão ligada assim com tendências. Ela compra o que dá no bolso, não consome revistas sobre o assunto, mas gosta de estar bonita para o marido. "Para mim, tem que ser amor à primeira vista. Preciso mostrar quem sou quando visto algo. É como se eu pudesse mostrar minha personalidade através do meu look", diz. 
Para o empresário Raimundo Moreira, à frente da marca Via Direta, o mercado da moda exige elementos de criatividade e competitividade que a globalização impõe à sobrevivência das empresas em todo o mundo. "Moda é uma fantasia em constante metamorfose, não para jamais", ressalta. Portanto, antes de sair para qualquer local e ocasião, é totalmente indispensável checar se estamos de acordo com o objetivo e em completa harmonia com o tipo físico
Estilo é eterno
Moda passa. Estilo é eterno. Essa é a regra que deve imperar quando uma mulher se veste de acordo com a sua idade. O que importa não é o que está nas páginas da revista ou no personagem da novela, mas sim no estilo pessoal. A mulher deve vestir o que é apropriado para o seu corpo, figura, gostos e anos
Usar uma camisa vermelha aos 35 anos não tem o mesmo peso que aos 18, nem investir em uns sapatos de salto aos 40 como quando se tinha 25 anos. As tendências devem se adaptar à pessoa e não o contrário. O que não falta hoje é acesso a informações que ajudam a compor o visual. Altos, magros, gordinhos e baixinhos, todos têm produtos para o seu biótipo, basta sempre estar atento para não pecar por excesso. 
Escrava da moda
Muitas mulheres têm segurança suficiente para parecerem sofisticadas sem exagerar. Uma mulher bem vestida não precisa de etiquetas nem seguir a moda das passarelas. Quando a mulher se torna escrava do consumismo das vitrines, é provável que esteja faltando algo em seu senso de identidade, temerosa de que, caso não esteja de acordo com determinado estereótipo, não será aceita pelos outros, e por isso acaba se preocupando mais com o que os outros pensam do que com sua própria vontade. Estar na moda, nesse caso, é uma forma de assegurar que ela está fazendo a coisa certa. 
Lacan, referência em psicologia, já dizia que "a fonte de todos os desejos é o desejo de ser desejado sempre". O que, de acordo com a psicóloga Nathália Batista, significa que todo ser humano sente a necessidade de ser desejado, seja nos aspectos intelectuais, morais, físicos e comportamentais, que é onde entra a moda. 
"A busca incessante pela realização desse desejo é constante, cabendo a cada um lidar com os seus limites internos para que não se torne vulgar ou desalinhado com a ocasião. Lembrando que a vestimenta é só uma ferramenta de transmissão do que representa a pessoa", destaca a psicóloga. 
Fonte: Revista Diário - Jornal Diário do Pará - 11/03/2012, Belém-PA. Ano: IV, nº 300.

Essa reportagem conseguiu captar perfeitamente o meu pensamento, faço dessas palavras as minhas.

E você aí, o que achou? Deixe um comentário falando algo a respeito!

Beijos :)



O que é isso, por favor?

Seja bem-vindo!

Olá, você aí que tirou alguns minutos do seu precioso tempo para conferir o que tem de mais nesse blog que acaba de estrear!

Assim que você abriu esse blog, deve ter pensado: "Mais um blog para lotar a blogosfera? Mais uma coisa mais do mesmo? Mais uma louca que vai dar dicas sem de fato saber nada do assunto?". Bem, não vou mentir que talvez existam blogs parecidos, mas quero trazer e dividir um pouquinho do meu conhecimento com as pessoas, sem pretensão alguma.

A proposta do "Dicas ou Travessuras" é dar dicas sobre vários assuntos, de uma forma que atinja um público eclético, daquele que vive para a música até aquele que vive para a moda. Antes de tudo quero deixar claro que não pretendo pagar de cult, até porque estou longe disso. Todo o conteúdo abordado aqui não passará de opiniões pessoais, o que significa que elas podem ser contestadas. Eu quero mesmo é poder trocar informações e discuti-las. Nada melhor do que estar por dentro de coisas legais que existem aos montes por aí e poder dividi-las com as pessoas que anseiam pelo mesmo.

Então, queridos e queridas, fiquem a vontade para desfrutar cada post, sintam-sem em casa e considerem-me aquela amiga sempre disposta a saber das novidades. Aqui vocês encontrarão de um tudo: dicas de séries, filmes, música, livros, moda e "economia"; e divagações sobre assuntos importantes (ou não, depende do ponto de vista, rs) de serem comentados.

Espero que vocês gostem e possam aproveitar essa jornada comigo - digo jornada porque a minha relação com blogs é um caso de "amor e ódio" - sem me deixar na mão.

Beijos e até o próximo post ;)