quinta-feira, 15 de novembro de 2012

#Filme | Amanhecer - Parte II


O post de hoje é um oferecimento de Nostalgia e Saudade, portanto, preparem-se que ele é bem pessoal, será impossível não falar sobre mim e tudo o que passei por causa desta Saga. Sei que a simples menção de algo relacionado a "Crepúsculo" já causa uma comoção e o torcer de nariz por algumas pessoas, mas vou deixar isso de lado e falar sobre toda a minha impressão a respeito do filme, que tem estreia nacional hoje, 15 de Novembro.

Em "Amanhecer - Parte II", Bella Swan - agora uma Cullen, já que ela se casou com Edward - está desfrutando da sua transformação em vampira e aprendendo a domar sua força e seu poder vampírico de criar uma grande barreira com a mente. Além disso, ela também está aprendendo a ser mãe, uma vez que sua filha Renesmee, fruto de seu relacionamento com Edward, está crescendo a todo instante (crianças meio humanas e meio imortais crescem muito rápido). Enquanto isso, uma grande batalha planejada pelos Volturi, os maiores vampiros de todos e que de certa formam governam o mundo vampírico, está em andamento, pois eles ficaram sabendo erroneamente que uma criança imortal estava "viva". É desta forma que os Cullen reúnem seus amigos vampiros para serem testemunhas que Renesmee é, na verdade, nascida do ventre de uma humana e que não fora transformada em vampira ainda criança. Assim, com a ajuda dos amigos e dos lobisomens, eles se preparam para a batalha que promete ser épica e, quem sabe, acabar com uma geração inteira de vampiros.

Novamente, o filme foi feito especialmente para os fãs, então talvez para as pessoas de fora que nunca leram os livros ou não se interessam pela Saga, as coisas possam parecer meio corridas ou estranhas. Apesar disso, acredito que este foi o filme que, talvez, tenha mais sentido para quem vai assistir apenas como expectador e não como fã.

Bill Condon, o diretor, me fez gostar deste filme, pois eu tinha zero expectativas, já que o livro "Amanhecer" foi o que menos gostei e o que mais me decepcionou. Condon conseguiu tirar leite de pedra, fazendo do filme um dos melhores - se não o melhor - de todos da Saga. Enquanto o livro era devagar e meio desanimador, o filme veio para quebrar tudo isso, tendo muita ação e um ritmo esmagador, que trouxe em mim e em tantas pessoas da sala de exibição onde eu estava, um misto de emoções que eu jamais imaginei que teria ao assistir ao filme. Há uma cena, em especial, muito desesperadora, que Bill Condon fez de uma forma surpreendente, tão verdadeira que quase foi impossível não se descabelar de tanta emoção. Ele foi um mestre ao fazer isso. Posso dizer que chorei, gritei, pulei e xinguei muito (coisa que eu não faço geralmente, porque não gosto que fiquem gritando perto de mim sem me deixar ouvir o que estão falando, mas desta fez vez foi impossível não fazer isso, fiquei doida com essa cena o_o). Não vou ser chata, então também darei os créditos para Melissa Rosenberg, a roteirista, que desta vez soube fazer um bom roteiro, diferente dos outros três filmes, dos quais ela tirou grande parte da "magia" e transformou completamente a personalidade de alguns personagens, o que me deixava sempre muito chateada. 

Como eu sempre falo e falarei agora, o filme não é uma obra da sétima arte e nunca teve este objetivo. É algo para entreter , para passar o tempo e feito para quem realmente leu os livros. Então é um filme, digamos, simples, com alguns erros e muito longe de ser perfeito. As atuações estão no nível certo e adequadas para este tipo de filme, e até mesmo a caracterização está melhor - embora eu ache a caracterização do primeiro filme a melhor de todas. 

O que deixou a desejar mesmo, no entanto, foram alguns efeitos especiais, que ficaram bem artificiais, dando para ver que se tratavam de montagens feitas no computador. O mais bizarro de todos foi o efeito de envelhecimento de Renesmee. Como já mencionado, um bebê metade humano e metade criança cresce muito rápido. No caso de Renesmee, ela tem o dom de comunicar seus pensamentos através do toque, então desde bebê era bem esperta. Isso, para um bebê de colo normal seria impossível, por isso fizeram uns efeitos em um boneco robô colocando nele um rosto de uma criança, só que esse efeito ficou muito bizarro, estava nítido que era uma criança feita no computador, ficou bem podrinho - o que eu não entendo, pois a Summit/Lionsgate (empresa responsável pelo filme) conseguiu milhões durante todos esses anos e, na hora de "abrir a mão" para fazer um trabalho bom na área de efeitos especiais, simplesmente deixou o resultado "feito nas pernas", forçado (mas isso já é de praxe, sempre há uma queixa contra a empresa, a começar pelos cartazes de divulgação, que são cheios de exagero no photoshop ¬¬).

"Amanhecer - Parte II" fecha com chave de ouro o fim da Saga Crepúsculo. Aos fãs que ainda vão assistir, sugiro que se preparem e levem um lencinho de papel, porque não há só cenas surpreendentes que não se encontram no livro, mas também um final de doer o coração com uma homenagem linda para os fãs e os atores envolvidos. 

Não é uma coisa triste porque acabou, é triste por me fazer lembrar de tudo o que passei por causa desta Saga. Um flashback passou pela minha cabeça de tudo o que vivi: as emoções ao ver os novos trailers, a expectativa pela chegada de um novo filme, o acompanhamento das filmagens, as várias discussões sobre os livros e teorias sobre o que os filmes poderiam trazer, as amizades que fiz, as coisas incríveis que conheci através da Saga, momentos felizes e tristes, etc. Não tenho vergonha nenhuma de falar que gosto de "Crepúsculo". Muitos me zoam por isso, torcem o nariz e não respeitam meu gosto, mas eu realmente não me importo. Podem falar o que for a respeito da Saga, pois só quem está dentro do fandom é que pode saber do que estou falando. Ao contrário do que dizem que os livros/filmes foram feitos para pessoas desmioladas, posso dizer que encontrei pessoas maravilhosas e inteligentes, com gostos diversos e um bom papo. É claro que no meu caminho vi muitas dessas pessoas desmioladas, posers, malucas e talifãs (aquelas meninas que não podem ver ninguém falar mal dos livros/filmes que vai defender loucamente), mas para elas eu não me importava, só dava importância para quem de fato merecia.

A Saga Crepúsculo é uma parte da minha vida que ficará marcada, assim como tantas outras fases legais que ficaram, como Harry Potter e outros momentos de fã que tive ao decorrer de minhas duas décadas. Agora só o que posso fazer é agradecer a Stephenie Meyer por ter escrito o livro e, com ele, ter me apresentado para coisas tão legais, das quais eu não me arrependo nem um pouco de conhecer e fazer parte.

Abaixo veja mais algumas fotos e o trailer:








Para quem estiver interessado, a trilha sonora, mais uma vez, está muito boa. Conta com ótimas bandas e artistas como Green Day, Ellie Goulding, Christina Perri (com sua música "A Thousand Years, Part 2" que me faz chorar lindamente), Feist e muitos outros. 

Beijos :)

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

#Música | K-pop

Tenho uma curiosidade peculiar em saber mais sobre a cultura das pessoas de olhos puxados, pois não é só uma cultura super diferente da nossa, mas também traz umas informações bem interessantes e fascinantes. Apesar disso, nunca fui muito de ir atrás para saber, sou uma pessoa bem preguiçosa nesse sentido. Mas quando você entra em contato com pessoas ainda mais interessadas nesse assunto, fica impossível não recolher algumas informações, nem que mínimas. E foi assim, ouvindo um pouquinho daqui e dali, que fiquei sabendo da existência do K-Pop, e à medida que entrei um pouco mais à fundo, fiquei fascinada.

K-Pop (abreviação para Korean Pop), em português bem claro, é a música pop coreana - mais especificamente da Coréia do Sul. Não há muita diferença entre o pop americano e inglês que nós tanto conhecemos musicalmente falando, já que muitas características desse estilo de música são parecidas. O que os diferencia mesmo é a toda a super produção por trás do K-pop. Os grupos, bandas, cantores e cantoras desse estilo musical são preparados por anos, há toda uma indústria gigantesca que permite que o pop coreano vingue. Eles são contratados por gravadoras e elas os produzem durante anos até que eles estejam preparados e sejam jogados na mídia. Acredito que se não todos, a maioria dos grupos são completamente fabricados, tanto que os integrantes são escolhidos a dedos pelas gravadoras.

Além disso, a facilidade com que grupos são formados é grande. Muitos são grupos instantâneos, pois começam a fazer sucesso da noite para o dia e, num passe de mágica, somem como se nunca tivessem feito sucesso. Para vermos como a indústria é rápida e muitas vezes descartável, já que há toda essa velocidade. E também há uma preocupação com o modo como os grupos serão vistos internacionalmente, tanto é que a maioria das músicas têm título em inglês, assim como versões para o japonês.

Vou mostrar para vocês alguns famosos do K-Pop para você adorar.

Girls' Generation (SNSD)

É composto por Taeyeon, Jessica, Sunny, Tiffany, Yoona, Yuri, Hyoeyon, Sooyoung e Seohyun. Em coreano, o grupo é conhecido por SNSD (So Nyeo Shi Dae); em japonês por Shoujo Jidae; e em inglês por Girls' Generation. Foi formado em 2007 pela SM Entertainment e já lançou 3 álbuns, 3 mini-álbuns e um álbum em japonês.  Apesar disso, só fizeram sucesso mesmo quando lançaram a música "Gee" e, desde então, viraram um fenômeno na Coréia do Sul e em seguida estouraram no Japão.

Para quem achou estranho o fato de ter três meninas no grupo com nomes tão ocidentais, deixa eu te explicar: Jessica, Sunny e Tiffany são norte-americanas, mas foram morar na Coréia ainda jovens, ou por causa da família ou por trabalho, portanto falam fluentemente o inglês e o coreano.

A indústria é tão sacana que se aproveitando do sucesso delas e da imensa popularidade de algumas das meninas, criou uma pequena unidade do grupo, composta apenas por Taeyeon, Tiffany e Seohyun, e foi chamada de Girls' Generation - TTS (TaeTiSeo).

 

2NE1

É composto por CL, Minzy, Dara e Bom. Foi formado em 2009 pela YG Entertainment e até o momento já lançou um álbum e dois EPs, além de álbuns ao vivo e outros trabalhos feitos em conjunto com outros grupos. Começaram a fazer sucesso depois que gravaram a música "Lollipop" para um comercial de celulares, mas ganharam reconhecimento mesmo com o lançamento da música "Fire", que rapidamente virou hit número um na internet. Além disso, as meninas estrelaram outras campanhas publicitárias, que ajudaram-nas a atingir mais sucesso, inclusive no Japão, quando uma de suas músicas virou ringtone, em 2011.

O nome da banda pode ser pronunciado como "twenty one" (21) ou "to anyone", e quer dizer "Nova Evolução do Século XXI", pois as meninas têm um estilo bem diferente e fora dos padrões.

Uma curiosidade interessante do grupo é que os seus fãs são conhecidos como Blackjacks, o que faz referência a um jogo com vinte e uma cartas.

 

Super Junior 

A formação atual tem 10 membros, mas já chegou a ter 15 no início da carreira. Depois da saída de vários membros por diversos motivos, hoje o grupo é composto por Lee Teuk, Ye Sung, Kang In, Shin Dong, Sung Min, Eun Hyuk, Dong Hae, Si Won, Ryeo Wook e Kyu Hyun. Foi formado em 2005 pela SM Entertainment e lançou 6 álbuns e 2 mini-álbuns. Eles começaram a fazer sucesso quase que de imediato desde que apareçam pela primeira vez em um programa de tv cantando a música "TWINS (Knock Out)", tanto que seu primeiro álbum, chamado de "Super Junior 05 [TWINS]", ficou em terceiro lugar na lista dos mais vendidos.

O grupo tem/teve quatro subgrupos: Super Junior K.R.Y, composto por Kyu Hyun, Ryeo Wook e Ye Sung; Super Junior T, formado por Lee Teuk, Hee Chul, Kang In, Shin Dong, Sung Min e Eun Hyuk; Super Junior M, composto por Han Geng, Si Won, Dong Hae, Reyo Wook, Kyu Hyun, Sung Min e Eun Kyuk; e, por fim, Super Junior Happy, formado por Lee Teuk, Kang In, Shin Dong, Eun Kyun, Ye Sung e Sung Min.

Inicialmente, a proposta do grupo era fazer um rodízio de integrantes. A cada temporada os integrantes seriam substituídos por novos e assim por diante, mas a ideia não deu certo, pois os membros da primeira geração fizeram muito sucesso e a produtora preferiu deixá-los fixos no grupo.

 

Psy (Jae-sang)

Este aqui nem precisa ser apresentado, já que é um sucesso mundial desde que lançou o clipe de uma música que criticava as pessoas do bairro rico Gangnam. A música, "Gangnam Style", virou sucesso mundial e seu clipe um viral na internet. Todo mundo sai por aí fazendo a coreografia divertida e tentando criar novas versões do clipe (a música teve até uma versão podre e vulgar feita pelo Latino) de tal forma que já está enjoando. Por causa disso, ele é, inclusive, o artista de K-pop mais aclamado atualmente, pois foi o cantor que teve mais visualizações em apenas um único vídeo e acabou entrando para o Guiness Book, uma vez que "Gangnam Style" foi o vídeo mais curtido do You Tube nos últimos tempos.

Apesar de só ter estourado mundialmente em 2012, ele já vem trabalhando artisticamente desde 2000 e já lançou 5 álbuns e 2 EPs. Desde o início ele foi um artista controverso, pois ao mesmo tempo que fazia umas coreografias bizarras e engraçadas, suas músicas criticavam e ironizavam alguma coisa, por isso já recebeu várias reclamações quanto ao conteúdo de seus álbuns.

No início o próprio PSY, cujo nome real é Park Jae-sang, lançava suas músicas e quando isso não foi mais possível, ele entrou para o time de artistas da YG Entertaiment, a qual o ajudou a continuar a ser visualizado na Coréia do Sul e a lançá-lo no Japão. 



Como vocês podem ver, a indústria musical do K-pop é muito forte e a competição lá dentro é super acirrada. Não é muito diferente do que já conhecemos, mas, sem sombra de dúvidas, é muito mais pesada até mesmo por motivos culturais, já que o povo oriental é conhecido por ser muito disciplinado e duro na hora de seguir à risca o que se propõe a fazer. Outra coisa que achei super interessante sobre o assunto, é que os fãs dos grupos escolhem cores para representar cada grupo, e isso nós não temos por aqui.

Os artistas aqui apresentados são apenas alguns dos mais conhecidos lá na Coréia do Sul, há muitos outros grupos/cantores/cantoras que devem ser conhecidos caso você tenha gostado do K-pop.

E aí, o que acharam?

Beijos :)