sábado, 14 de abril de 2012

#Divagando | Você está na moda?

Imagem: We Heart It.com


Olá, você que me lê!

Há um tempo eu li uma reportagem muito interessante que falava sobre adaptar as tendências da moda ao gosto pessoal. Serve bastante para te fazer pensar e reavaliar a sua relação com a moda. E como o "Dicas ou Travessuras" também falará de assuntos relacionados a isso, achei que esta seria uma ótima oportunidade para mostrar o texto aqui, neste segundo post do blog.

Vamos lá!

(P.S: As partes em negrito foram grifadas por mim)

Você está na moda? 

Mais do que vestir as últimas tendências, é preciso adaptá-las ao seu estilo.  
(Por Ingrid Pipólos)
Moda significa tendência de consumo da atualidade, e para muita gente o sonho de estar antenado se materializa vestindo-se 'à maneira' do que mercado impõe. Mas, para estar na moda, é mesmo preciso se vestir conforme o que dita os grandes desfiles, das grandes marcas e dos grandes estilistas?
Não necessariamente, dizem os especialistas. Moda é um padrão, um norte a partir do qual cada um deve criar o seu estilo, a sua própria identidade. Uma produção requer uma grande dose de sensatez, o que traduzido significa que o conjunto de peças a ser escolhido em seu guarda-roupa pode se transformar em uma bela obra ou num grande fracasso. 
Para a jornalista Kenny Teixeira, 29 anos, moda é atualidade com padrões que são capazes de expressar sentimentos vividos em uma determinada época. "Sou alguém que se preocupa em estar sempre bem: bem vestido e bem feliz. Além disso, um sapatinho novo com o salto da moda e dois ou três vestidinhos nos tons da estação não fazem mal a ninguém", define-se, com bom humor. Kenny também lê revistas de moda e sempre sai de casa para dar aquela voltinha no shopping em busca de novidades. 
A turismóloga Fernanda Oliveira, 26 anos, já não é tão ligada assim com tendências. Ela compra o que dá no bolso, não consome revistas sobre o assunto, mas gosta de estar bonita para o marido. "Para mim, tem que ser amor à primeira vista. Preciso mostrar quem sou quando visto algo. É como se eu pudesse mostrar minha personalidade através do meu look", diz. 
Para o empresário Raimundo Moreira, à frente da marca Via Direta, o mercado da moda exige elementos de criatividade e competitividade que a globalização impõe à sobrevivência das empresas em todo o mundo. "Moda é uma fantasia em constante metamorfose, não para jamais", ressalta. Portanto, antes de sair para qualquer local e ocasião, é totalmente indispensável checar se estamos de acordo com o objetivo e em completa harmonia com o tipo físico
Estilo é eterno
Moda passa. Estilo é eterno. Essa é a regra que deve imperar quando uma mulher se veste de acordo com a sua idade. O que importa não é o que está nas páginas da revista ou no personagem da novela, mas sim no estilo pessoal. A mulher deve vestir o que é apropriado para o seu corpo, figura, gostos e anos
Usar uma camisa vermelha aos 35 anos não tem o mesmo peso que aos 18, nem investir em uns sapatos de salto aos 40 como quando se tinha 25 anos. As tendências devem se adaptar à pessoa e não o contrário. O que não falta hoje é acesso a informações que ajudam a compor o visual. Altos, magros, gordinhos e baixinhos, todos têm produtos para o seu biótipo, basta sempre estar atento para não pecar por excesso. 
Escrava da moda
Muitas mulheres têm segurança suficiente para parecerem sofisticadas sem exagerar. Uma mulher bem vestida não precisa de etiquetas nem seguir a moda das passarelas. Quando a mulher se torna escrava do consumismo das vitrines, é provável que esteja faltando algo em seu senso de identidade, temerosa de que, caso não esteja de acordo com determinado estereótipo, não será aceita pelos outros, e por isso acaba se preocupando mais com o que os outros pensam do que com sua própria vontade. Estar na moda, nesse caso, é uma forma de assegurar que ela está fazendo a coisa certa. 
Lacan, referência em psicologia, já dizia que "a fonte de todos os desejos é o desejo de ser desejado sempre". O que, de acordo com a psicóloga Nathália Batista, significa que todo ser humano sente a necessidade de ser desejado, seja nos aspectos intelectuais, morais, físicos e comportamentais, que é onde entra a moda. 
"A busca incessante pela realização desse desejo é constante, cabendo a cada um lidar com os seus limites internos para que não se torne vulgar ou desalinhado com a ocasião. Lembrando que a vestimenta é só uma ferramenta de transmissão do que representa a pessoa", destaca a psicóloga. 
Fonte: Revista Diário - Jornal Diário do Pará - 11/03/2012, Belém-PA. Ano: IV, nº 300.

Essa reportagem conseguiu captar perfeitamente o meu pensamento, faço dessas palavras as minhas.

E você aí, o que achou? Deixe um comentário falando algo a respeito!

Beijos :)



Nenhum comentário:

Postar um comentário