quarta-feira, 2 de maio de 2012

#Filme | Tomboy

Imagem: Retirada da Google

Surpreendente e maravilhoso de uma forma bem leve, "Tomboy", um filme francês de 2011 e dirigido por Céline Sciamma, consegue falar de forma sutil sobre os conflitos internos de uma garota de 10 anos, que não sabe bem o motivo de ser menina, mas gostar tanto de coisas de meninos e até se comportar como um.

O filme começa nos apresentando um menino comum, desses magricelos que vemos aos montes por aí, chegando a uma nova casa, em outro bairro, com seus pais e sua irmã caçula, Jeanne. Mas, apesar de parecer tão comum, ele não é. Descobrimos então que "ele", na verdade, é "ela" e se chama Laure.

Como é nova no bairro, Laure vai atrás de pessoas para fazer amizade. Usando o fato de não conhecer ninguém, ela passa a se apresentar para as pessoas como Mikaël. Laure/Mikaël faz logo amizade com Lisa, uma garota que a apresenta aos meninos do bairro e quem, mais tarde, terá uma "quedinha" por ela. Fingindo ser um menino, ela leva a farsa adiante, sem se preocupar com as sérias consequências que isso poderia acarretar.

O que é interessante perceber neste filme, é que os pais de Laure não tentam forçá-la a se comportar como uma garota comum. Eles aceitam a menina gostar de se vestir de forma masculinizada, mas ao mesmo tempo parecem não compreender a não identificação dela com o seu sexo. Quem parece compreender mais é a sua irmã, que mesmo sendo uma criança de apenas 5 anos, consegue entender que Laure gosta mais de coisas de meninos e a aceita da maneira como é. E isso é um outro ponto que deve ser notado. As duas irmãs são muito ligadas e cúmplices, mais do que com os outros próprios pais.

"Tomboy" foi indicado a vários prêmios na categoria LGBT. Apesar disso eu ainda acredito que o filme em si não fala sobre o homossexualismo já presente na vida de uma criança (quase pré-adolescente) de 10 anos, mas sim de uma menina que está se descobrindo, tentando achar seu local no mundo e que claramente nasceu no "corpo" errado.

Quem dá um show, lógico, é a pequena atriz Zoé Héran, que interpreta Laure/Mikaël. Grande parte do filme eu fiquei achando que não era uma atriz e sim um ator interpretando uma menina "tomboy" (em inglês o termo refere-se a meninas que possuem características masculinas). A expressão corporal dela está um máximo. Ela se porta e fala como um menino e consegue expressar sua confusão através dos olhos, sem precisar abrir a boca.

Zoé Héran
Como eu não a conhecia, fui atrás de informações da garota para saber se ela se comportava daquela forma mesmo ou se teve que passar por todo um processo de caracterização. E o que achei nas pesquisas é que, sim, ela teve que aprender a se portar como um menino. Zoé emagreceu e teve que cortar radicalmente os cabelos, que antes eram compridos. Até mesmo a voz ela mudou para fazer Laure/Mikaël - isso, pelo menos, foi o que eu percebi quando fiz a comparação entre o filme e uma entrevista dela.

O filme centraliza-se mais nas crianças, tanto é que os nomes dos adultos nem são citados. As crianças dão a leveza necessária ao assunto abordado e até servem para mostrar como certos pensamentos estão enraizados desde cedo, que a sociedade quer nos preparar a seguir certas "regras". Isso pode ser visto, por exemplo, quando os meninos - do grupo o qual Laure fazia parte - dizem que uma menina beijar outra menina é nojento, é errado. Quanto as crianças, Malonn Lévana, que interpretou Jeanne, também deu um show a parte. Parecia que ela estava brincando enquanto participava do filme, tudo fluía perfeitamente para uma garota pequena como ela. O elenco foi super bem escolhido.

Aqui no Brasil, "Tomboy" não estreou em grandes salas de cinema e nem em todos as capitais, então foi bem mais difícil ficar sabendo deste ótimo trabalho. Se não me engano, o filme só chegou no Rio de Janeiro, São Paulo e Recife. Mas para quem se interessou, eu sugiro que baixe o filme ou procure em alguma locadora da cidade. Não sei se já está disponível em DVD e se não tiver, há sempre o bom download, não é? Só não deixe de assistir!

Vou postar logo abaixo dois trailers do filme, um legendado em português e o outro em inglês, porque achei que os dois se completam. Lá vai:




É isso aí, espero que vocês tenham gostado desta dica e assim que possível possam assistir ao filme. Não esqueçam de deixar aquele comentário legal falando sobre o que acharam do post.

Beijos :)

2 comentários:

  1. Eu estou querendo assistir esse filme há um tempão. Parece ser ótimo, e por ser francês só me dexa com mais vontade de ver. Como você disse, acredito que ele não trate de homessexualismo, mas de uma menina fazendo descobertas, e se quisessemos classificar de uma forma mais direta, ele trata sobre os transgêneros, um tema pouco discutido até na comunidade LGBT.

    =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Joelma!

      Pois é, também acredito que o filme trata sobre os transgêneros, mesmo que de forma bem leve. Assista, acho que vais gostar!

      Bjins

      Excluir